Vaticano, 09 Jan. 17 / 12:00 pm ().-Finalizado o tempo do com a festa do celebrada no domingo em Roma e em diversas partes do mundo, o Papa Francisco voltou a celebrar hoje a na Casa Santa Marta e recordou qual é o centro da cristã. “Jesus sempre está no centro, Ele é a primeira e a última Palavra do Pai, o Senhor do universo, o Salvador do mundo. Não há outro, é único”, afirmou.

Em sua homilia desta manhã, Francisco assinalou 3 tarefas “para nos assegurar de que Jesus está no centro da nossa vida”:

1. Reconhecer Jesus

“A primeira tarefa é conhecê-lo para reconhecê-lo”, começou e acrescentou que na sua época muitos o reconheceram, mas também muitos “o perseguiram, o mataram”.

“Interessa-me conhecer Jesus? Ou me interessam mais as novelas, as fofocas, as ambições, o saber da vida dos outros?”, questionou os fiéis durante a homilia.

“Para conhecer Jesus existe a oração e o Espírito Santo”. “O Espírito Santo faz o trabalho. Esta é a semente. Quem faz germinar e crescer a semente é o Espírito Santo”, explicou.

2. Adorar Jesus

Francisco indicou que além de adorar o Senhor, é necessário agradecê-lo. “A oração de adoração em silêncio” e depois “tirar do nosso coração as outras coisas que adoramos, que nos interessam mais. Ter somente Deus. As outras coisas servem se sou capaz de adorar Deus”.

O Papa acrescentou que “há uma pequena oração que nós rezamos: o Glória. ‘Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo’, mas muitas vezes a proferimos como papagaios”.

Então, “adorar, com pequenas orações, com o silêncio diante da grandeza de Deus, adorar Jesus e dizer: ‘Tu és meu amigo, és o princípio e o fim e contigo quero permanecer por toda a vida, toda a eternidade. És único’. Expulsar as coisas que me impedem de adorar Jesus”.

3. Seguir Jesus

A última tarefa proposta pelo Pontífice é “seguir Jesus”. “A vida cristã é simples, muito simples, mas precisamos da graça do Espírito Santo para que desperte em nós o desejo de conhecer Jesus, adorar Jesus e segui-Lo. Por isso, pedimos ao Senhor no início da oração da Coleta para saber o que devemos fazer, para ter a força de fazer o que devemos”.

Por outro lado, afirmou que “Jesus Cristo que se manifesta, se mostra e nós somos convidados a conhecê-lo, a reconhecê-lo na vida, nas várias circunstâncias da vida, reconhecer Jesus, conhecer Jesus: ‘eu conheço a vida daquele santo, daquela santa, ou também as aparições aqui e acolá’. Isso é bom, os santos são os santos, são grandes!”, exclamou.

“As aparições nem todas são verdadeiras! Os santos são importantes, mas o centro é Jesus Cristo: sem Jesus Cristo não existem os santos! Uma pergunta: O centro da minha vida é Jesus Cristo? Como é a minha relação com Jesus Cristo?”, perguntou.

Ao finalizar, o Papa pediu que “na simplicidade de todos os dias – porque para ser cristãos não são necessárias coisas estranhas, difíceis, supérfluas, não, é simples – o Senhor nos dê a graça de conhecer Jesus, adorar e seguir Jesus”.

Confira também:

Fonte: http://www.acidigital.com