É amor mesmo ou você está acostumada com a presença dele?

870
0

Hoje, quero falar para você que já namora há algum tempo mas não consegue dar passos concretos na direção do matrimônio. Já estive nessa situação e, realmente, é difícil avaliar a cena toda. Mas é preciso.

Há casais que vivem praticamente em guerra. Briga atrás de briga. Falta de diálogo. Só conseguem ver os defeitos do outro. Nenhum consegue dar o braço a torcer em momento algum. São, praticamente adversários. Um relacionamento pesado, sem alegria.

Se o seu namoro ou noivado está assim, aos trancos e barrancos, é preciso ter a coragem de se fazer estas perguntas: é amor mesmo ou estou acostumada com a presença dele? Será que estou apegada ao tempo que estamos juntos? Ou até: será que tenho medo de ficar sozinha?

Um relacionamento a dois envolve parceria, respeito, amizade, companheirismo, diálogo e, acima de tudo, empenho para fazer dar certo. Isso é amor concreto. Achar que sempre vai ter o frio na barriga, que tudo será só flores, é ilusão. Isso é o retrato da paixão dos primeiros meses ou dos contos de fada e das novelas, algo passageiro.

A realidade é outra. São duas pessoas diferentes, que cresceram em famílias diferentes, com hábitos diferentes mas que, livremente, escolheram estar juntas. Certamente aparecerão dificuldades, mas repito: a decisão por fazer dar certo é que fará a diferença!

Então, é preciso ter alegria de estar juntos. Alegria de sonhar juntos, mesmo que os sonhos tenham algumas diferenças. De rir juntos. De construir juntos uma família. De suportar juntos os perrengues que possam surgir.
Se tudo isso parece impossível, sugiro repensar e buscar responder com sinceridade as perguntas que coloquei no início.
Finalizo com o conselho do Papa Francisco aos casais: usar as três palavras mágicas para um relacionamento durar.

Com licença

Obrigado (a)

Desculpa

Essas palavras são a cura para maioria dos relacionamentos adoecidos pela individualidade, orgulho e falta de perdão.

Parece simples e, de fato é. Apenas requer humildade, amor e respeito. E aí é que está o desafio: viver na prática os conceitos evangélicos que o próprio Jesus nos ensinou.

Fonte: sonhodedeussite.wordpress.com