Caminho de namoro – Ela aceitou, ALELUIA! E agora o que fazer?

6365
0

Daí você criou coragem, foi lá, declarou o seu amor e ouviu um SIM! A menina ficou igual a Miss Simpatia cantarolando: “ele quer me amar, me namoraaar, casar comiiiigo”. Foram ao padre, ele abençoou o relacionamento e: ‘’AEW! Tá namoraaando, tá namoraaando, tá namoraaando!’’, “Aquilo que parecia impossível, aquilo que parecia não ter saída”… “O impossível, Ele pode realizar”! “É festa no céu, é festa na terra”… Sim! Que alegria! É lindo este momento, mas e aí, como é que vai ser? Tem muito jovem parecendo um cachorro de rua. Isso mesmo! Já viu, ao passar um carro uns cachorros saindo correndo e latindo atrás do veículo? Então, vão aumentando os latidos cada vez mais. De repente o carro para, o cachorro também, o animal olha pro veículo e…? Nada! Não sabe o que fazer.

É isso que muitos jovens vivem em seus relacionamentos ou tentativas de relacionamentos, vivem postando por aí que estão “Esperando no Senhor”, “Escolhi esperar” (Tá há anos nessa escolha, daí me pergunto: ‘‘Escolheu esperar’’ ou ‘‘ A espera o escolheu’’? kkkk); “Só namoro se for sério”. Meu Deus não consegue passar uma semana sem dizer pra todo mundo que “espera pacientemente no senhor”. Filho, filha, se espera pacientemente no Senhor então para de falar pra todo mundo que está esperando. Se continuar assim a galera vai começar a fazer anúncio pago no Facebook e no Google AdWords com foto dizendo: “Escolhi esperar e a(o) esperada(o) pode ser você”! Mas e quando essa espera acaba? O que fazer? Ficar lá paradão igual cachorro que saiu correndo atrás do carro ou viver um relacionamento legal, proveitoso e que gerará frutos para a sua vida e a vida da outra pessoa? Nossos relacionamentos devem ser frutuosos, virtuosos, cheios do amor de Deus, pois somos filhos de Dele e nos relacionamos com filhos de Deus! Não temos o direito de experimentar e jogar fora (Cf. Cartilha Jovens Sarados – Caminho de namoro).

O outro é sagrado, é parte do plano de amor de Deus para com a humanidade e o nosso relacionamento deve levá-lo para mais perto de Jesus, no conhecimento de si mesmo e no crescimento em conjunto. A primeira coisa que devemos fazer, quando começamos um relacionamento, é abrir o coração, mas também a nossa vida, aquilo que somos e ir aprofundando diariamente essa abertura de nossa história para a outra pessoa e ela para conosco. Deve ser uma via de mão dupla. Não se pode omitir, deixar rolar, ou pensar que: “Bem eu não gosto muito disso que ela(e) faz, mas com o tempo eu dou um jeito nisso”… Não pense assim, jamais pense nisso, nunca mesmo! Seja sempre sincero(a), verdadeiro(a), franco(a), amoroso(a), seja sempre autêntico(a), claro que com jeitinho, amor, carinho e compreensão, lembrando do que o Papa Bento XVI no ensinou: “O amor na verdade”.

Sempre se deve dizer a verdade, mas não se deve faltar amor ao dizê-la. Muitos relacionamentos dão errado por faltar essa transparência entre as partes, parece que a pessoa vira um anúncio publicitário e não um(a) namorado(a), um projeto de marketing, no qual algo é apresentado. Se o relacionamento for assim, veja se você não mostra quem realmente você é, você pode estar sendo traído pela(o) sua(seu) namorada(o) sem que ela(e) saiba que está lhe traindo. Como assim? Pois é, sei que parece meio doido, mas na real a pessoa não está namorando você, mas uma pessoa que você criou, uma personagem e não você. Só que o pior disso é que a outra pessoa está sendo enganada por você e é totalmente inocente pois namora alguém que você a(o) permitiu acreditar que seja você, mas de fato não é. Isso pode gerar diversos conflitos no futuro e não num futuro muito distante, as vezes com poucos dias de namoro isso já pode aparecer. Por isso, tome consigo a palavra de Deus que nos ensina que o nosso sim ou o nosso não diante das situações devem ser verdadeiros (Cf. Mt 5,37).

Este momento onde se inicia o namoro é um momento lindo, onde o conhecer o outro é aprofundado e se ambos se permitirem conhecer o relacionamento cresce. Mais do que tempo de beijar na boca (o que é muito bom, obviamente) é tempo de semear um no coração do outro aquilo que é, para que a seu tempo essas sementes deem frutos de amor!