Caminho de namoro – E quando não gostamos das mesmas coisas? O que fazer?

5470
0

Açaí ou Sorvete? Batata Frita ou Aipim Frito? Chimarrão ou Tererê? Qual o melhor? Pois é, tem muita opção, as vezes preferimos algumas coisas e outras não gostamos tanto, mas e se a minha (meu) namorada (o) é louca (o) por sorvete e eu não gosto tanto assim?

Hoje vamos falar de algo que sempre acontece no início de muitos namoros. A incompatibilidade de gostos. Sim, num relacionamento a dois vamos descobrindo o que o outro gosta ou não gosta; ao mesmo tempo o outro começa a conhecer aquilo que gostamos ou não. É nesta fase onde saberemos o quão certo pode ou não dar o relacionamento. Pois é nesta fase onde vamos agir ou não como pessoas transformadas pelo Espírito Santo!

É muito importante que no relacionamento a gente não fique escondendo as coisas que gostamos ou não gostamos só para agradar o namorado ou a namorada! Ao contrário do que se pensa, a pessoa não vai ficar com raiva ou deixar de gostar de você, só porque você gosta de coisas diferentes das que ela gosta; mas se deixar de gostar também, convenhamos, é livramento irmã (o), deixa partir mesmo e que Deus acompanhe! Em um relacionamento a dois devemos somar um ao outro e não subtrair um do outro. Devemos expor aquilo que somos, dizer o que pensamos sem medo, pois do contrário estaríamos jogando com nossas vidas e a do outro.

Imagine uma menina se apaixona por alguém que sei lá, deixa eu ver algo muito ruim para ilustrar… Ah, já sei, um torcedor roxo do Corinthians ou do Flamengo, (brincadeiras, sem querer me pegar e me dar um couro lá no acampamento kkk)… Mas a menina não gosta de futebol, o que ela faz? Finge gostar só pro rapaz achar ela mais interessante? De jeito nenhum, ninguém deve deixar de ser quem é para ser o que o outro quer que sejamos. Simplesmente diga a ele que não gosta tanto assim ou que simplesmente não gosta de futebol. Pronto, você não está obrigada a ficar assistindo jogos, usando camisas e fazendo as coisas de futebol que ele curte. Por outro lado não deve bancar a chata falando mal de futebol, falando mal do time do cara (até porque você não curte, então não entende mesmo, vai falar do que?), ficar desmerecendo o fato de ele curtir futebol… O que será necessário é como dizemos na música, equalizar as frequências, dar alguns ajustes, um cede um pouco daqui, outro cede um pouco de lá e assim vão juntos se adaptando àquilo que se propuseram a ser um para o outro.

Imagine a cena, o rapaz trabalha o mês todo, junta uma graninha e quer fazer uma surpresa pra namorada, leva ela pra um restaurante legal. O melhor sushi da cidade, rodízio a R$ 85,00, digamos… O Casal sai a R$170,00, poxa é um valor considerável. Chegando lá a menina não come nada praticamente, fica lá com mais cara de peixe morto que o salmão do sushiman. O rapaz pergunta se ela não tá gostando e ela diz: “ah, não gosto de comida japonesa”… Pera aeeeeeeeeeeeew, porque? Como assim? R$ 170,00 jogados foraaaa. Qual o motivo? Faltou comunicação… Das duas partes, o rapaz poderia perguntar antes do que ela gosta ou não de comer e ela poderia ter deixado claro que não curte comida japonesa e tentar uma solução antes do dinheiro acabar kkkk… Mas a questão não é o valor, mas o sentimento que fica depois, o clima ruim, é super chato. Então como evitar essas coisas? Conversando, deixando-se conhecer… Não somos obrigados a gostar das mesmas coisas, mas nem por isso devemos deixar de curtir e compartilhar a vida de forma legal unindo aquilo que os dois gostam. Ainda sobre o restaurante, um buffet onde houvesse comida japonesa e outras coisas solucionara o problema facilmente… As vezes a menina até arriscaria filar algo no prato do rapaz pra provar e sim, elas sempre filam algo do nosso prato; se sua namorada for Sarada então ela fila seu prato e se você apontar o dedo reclamando ela come ele também KKKKKK! Benza Deus como as Saradas comem, por isso sugeri um buffet e não um selfie service de comida a kilo KKKKK! Aaaaah, nada haver? Quer provas? Compartilhe o texto e marque as saradas que comem que nem pedreiro e vamos ver! Desafio lançado! kkkkkkkkkkkkkkk!

Muitos exemplos poderiam ser dados, mas para não me alongar, escrevi este, pois parece uma coisinha boba, mas ao passar do tempo isso deixa gerar sementes ruins dentro de nós. Se somos terra boa do Senhor, devemos cultivar sementes boas e não más, certo? Então é isso galera, não tenha medo de mostrar quem você é, deixe o outro conhecer você, não fique com medo!